Município deverá ter que pagar sobre situação do IBC II


A reunião que aconteceu na sede da Justiça Federal em Jacarezinho na tarde desta quinta-feira, 4, envolveu representantes do Poder Executivo, Justiça Federal, Poder Judiciário e Poder Legislativo (Fúlvio Boberg, Nilton Stein, Edílson da Luz, Pastor André e Chiquinho Mecânico) foi para debater sobre a situação do prédio do Instituto Brasileiro do Café (IBC II) que já dura há anos.
O representante da União, através de vídeo conferência, destacou que ação já está bem adiantada esperando uma finalização sobre valores, mas ultrapassa R$ 3 milhões. A reunião foi intermediada pelo juiz federal Rogério Cangussu. 

A Prefeitura solicitou que possa ser revertida em ações. Uma delas seria a doação de um terreno para a construção de um Centro de Detenção e Ressocialização (CDR), outro ponto foi sobre a conservação e manutenção de áreas ambientais e a terceira opção que o Poder Público solicitou seria o parcelamento da dívida.
O vereador Fúlvio Boberg destaca que no local foram furtados vidros, telhas, fios e vários objetos que deixaram o prédio sem nada. Com 55 mil metros quadrados o espaço agora está sem funcionalidade. Criado em 1952 para definir as diretrizes da política cafeeira, o IBC foi extinto em 1989, durante o governo Collor.
Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas