segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Fechamento de leitos e de hospitais precariza atendimento na saúde mental

A extinção de leitos e hospitais causou um grande retrocesso na qualidade do atendimento de pacientes com transtorno mental e dependentes de álcool e drogas no Estado, segundo o diagnóstico feito por vários especialistas em audiência realizada pela Comissão de Saúde Pública da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) nesta segunda-feira (19).
A avaliação dos médicos indica que a desativação de hospitais e de serviços ambulatoriais, bem como a redução dos leitos disponíveis, preconizada num modelo que desencorajou a internação psiquiátrica, desorganizou as ações em saúde mental.
“É uma verdadeira loucura esta psiquiatria que fizeram aí”, afirmou o presidente da Associação Paranaense de Psiquiatria, Osmar Ratzke, que atua há 50 anos no setor e, neste período, testemunhou a criação e a desativação de diferentes serviços públicos em saúde mental no Paraná.
“A psiquiatria é atendimento ambulatorial. Um bom ambulatório resolve 90% dos casos. Internação vira exceção”, disse Ratzke. Ele afirmou que a mudança de paradigma começou em 1992, com o desmonte de hospitais e a redução de leitos. A mudança, que ele atribui a “questões ideológicas”, levou à “liquidação dos ambulatórios”.
Foram então criados os CAPS (Centros de Atendimento Psico-Social) para substituir hospitais e ambulatórios, a partir da lei federal 10.216/2001,  “mas eles não funcionam como a gente gostaria que fosse”. Segundo o psiquiatra, os CAPS são muito mais caros que os antigos ambulatórios, o que reduz a viabilidade financeira do sistema.
Segundo ele, nos últimos anos foram desativados 2.413 leitos de saúde mental no Paraná. Restam 1.906 leitos para 11 milhões de habitantes, proporção bem inferior à recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O resultado, diz, foi o aumento do número de suicídios e da dependência química.
A “questão ideológica” a que se referiu Ratzke está associada às denúncias de especialistas de que os antigos hospitais psiquiátricos violavam os direitos dos pacientes, com maus tratos e procedimentos abusivos.
Ricardo Sbalqueiro, médico do Hospital San Julian, de Piraquara, exibiu pesquisas internacionais correlacionando a redução do número de leitos – e de internações – com o aumento da população carcerária em vários países europeus e nos Estados Unidos.  Nesse caso, reduzir os gastos com hospitais psiquiátricos também seria economicamente contraproducente, ao gerar aumento de despesas com presídios. No Brasil, a queda da oferta de leitos, afirmou Sbalqueiro, também está associada à elevação das taxas de suicídio. Nos países pesquisados (citou Itália, Alemanha, Inglaterra e Noruega), vem se ampliando o numero de presos com transtorno mental.
“É preciso estancar a sangria representada pelo fechamento de leitos”, disse por sua vez Charles London, diretor da Federação das Associações das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Paraná.
Vários dos participantes – incluindo o representante da Secretaria estadual da Saúde – mencionaram ainda que são insuficientes os recursos liberados pelo Ministério da Saúde.
O deputado Michele Caputo (PSDB) lembrou que em seu período como secretário de Saúde (entre 2011 e 2018) o Ministério da Saúde determinou que o Estado só receberia recursos para implantar os CAPS se comprovasse a extinção de leitos psiquiátricos. Caputo defendeu a suplementação emergencial e o reajuste da tabela SUS para os leitos psiquiátricos, além da regularização de repasses para toda a rede hospitalar.  O deputado propôs ainda a reativação, em caráter emergencial, do Grupo Técnico Saúde Mental/Psiquiatria de apoio à Comissão de Saúde da Assembleia.

FONTE: ASSESSORIA ALEP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria???

19 Regional de Saúde Abatia Abatiá ACISC AJUDE O LUCCA Alex Canziani Alexandre Curi Alexandre Guimarães AMUNORPI Andira Andirá Angra Doce Arapoti Artigos Assaí Assessorados AUDIÊNCIA PÚBLICA BANDEIRA EVENTOS Bandeirantes Barra Barra do Jacaré Bauru Beto Richa Bizarro BOM DE BOLA BRASIL Bruno Pessuti CADASTRO CÂMARA CARLÓPOLIS CÂMARA JACAREZINHO Cambara CAMBARÁ CAPS Carlopolis Carlópolis Casas em Cornélio CERTANO CIAS Cida Borghetti CISNORPI Cobra Repórter CONCURSO Congonhinhas Conselheiro Conselheiro Mairinck ConselheiroMairinck Conteúdo de Marca Cornélio Procópio Cultural Curitiba Curiuva Curiúva Destaque DETRAN EM AÇÃO Diversos Douglas Fabrício Economia Educacao Educação ELEIÇÕES 2018 Esportes Evandro Junior FÁBIO VIEIRA Figueira FORREST BRASIL FUTEBOL GERAL Governo do Estado Governo Federal Guapirama Guto Silva Ibaiti InvestCRED ITAIPU Itambaracá Jaboti Jacarezinho Jaguariaíva Japira João Carlos Gomes Joaquim Távora JoaquimTavora Jogos Escolares Jundiaí do Sul JundiaidoSul Liberatti LIMITE DE GASTOS Londrina Luiz Carlos Martins Magda Cristina MARQUES DOS REIS Mauro Moraes Michele Caputo MOLINIS MUNDO BIZARRO NATAL Nick Network NORTE PIONEIRO Nova América da Colina Nova Santa Bárbara NOVO CAMINHO Núcleo de Educação OFERTA DE CURSOS Online Ourinhos PARANÁ Parceria FAEL Pedro Claro Pedro Lupion PHS Pinhalao Pinhalão PLANETA BIZARRO PLATINA PM Policial Politica Política Professor Rodrigo Projetos Quatigua Quatiguá Ratinho Junior Regiao Região REGIONAL Ribeirão Claro Ribeirão do Pinhal RibeiraoClaro RibeiraoDoPinhal Romanelli Rubens Bueno Salto do Itararé SaltoDoItarare SAMU Santa Amélia Santa Cecília do Pavão Santa Mariana Santana do Itararé SantanaDoItarare Santo Antônio da Platina santo Antônio do Paraíso São José da Boa Vista São Sebastião da Amoreira SaoJosedaBoaVista SAP Saúde SEDS Sertaneja Sindicato Rural SAP Siqueira Campos SiqueiraCampos SOMOS CONSULTORIA Tarcísio Mossato Tiago Amaral Tomazina Toninho Wandschher Trânsito Tribunal de Contas UENP Uraí VERMELHO Wenceslau Braz WenceslauBraz

As Mais Clicadas do Mês!

As Mais Recentes!

Destaque!

Subir