Caravana Cultural da UENP leva Arte à Comunidade da Pedreira em Jacarezinho

Os olhos atentos da garotinha fitavam o palhaço, que, com a perna de pau, exibia o domínio de seus malabares. O ritmo do maracatu embalava os sentidos da menina, que trazia em sua camiseta a insígnia “Fé”. Era a Caravana da Cultura da UENP a cortar a única viela da comunidade da Pedreira, em Jacarezinho.
O projeto da Universidade Estadual do Norte do Paraná, a Caravana da Cultura, ocorreu no último sábado, 27 de julho, e foi organizada pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, em parceria com o Projeto Mateus 25, com a Escola de Samba Acadêmicos Capiau e com artistas de diversos segmentos de Jacarezinho.
Artistas locais, membros da Escola de Samba, professores, servidores, estudantes e outros membros da comunidade externa da UENP, juntos, deram vida à Caravana da Cultura, que levou muita alegria por meio das ações culturais ofertadas à comunidade, que apresenta acentuada vulnerabilidade social. Ao todo, mais de 150 moradores do local acompanharam o inédito movimento cultural da Universidade.
Na ocasião, as crianças tiveram a oportunidade de realizar oficinas de Capoeira, Maracatu, Percussão e Violão. Além disso, foram realizadas ações de Saúde, por meio de acadêmicos dos cursos de Enfermagem e Odontologia da UENP. Também foi ofertada uma oficina de empoderamento às mulheres da comunidade, bem como corte de cabelo gratuito para os homens - cortesia da Red Lyon Barbearia Dub.
Segundo a pró-reitora de Extensão e Cultura, Simone Castanho, a recepção à Caravana foi muito positiva. “A recepção da comunidade para com o projeto foi muito calorosa. Ficamos felizes em ver o entusiasmo da comunidade, sobretudo das crianças, que seguiram o cortejo conosco, participando ativamente de todas as oficinas. Quando a gente visita comunidades como a Pedreira, percebemos que a cultura não chega até lá, do ponto de vista institucional, das políticas públicas. Por isso, essa primeira Caravana foi um projeto piloto com o objetivo de levar cultura e arte também para outras comunidades vulneráveis”, reitera.
Além disso, Castanho também destaca que a Caravana da Cultura também teve como finalidade divulgar, para os membros da comunidade, as atividades e oficinas realizadas no Galpão Cultural Romano Nunes “Cabelo”, da UENP. “Pudemos, na ocasião, estreitar os laços com a comunidade. Aproveitamos o ensejo para convidar a população a prestigiar e fazer parte dos projetos culturais que a Universidade oferece por meio do Galpão Cultural Romano Nunes”, disse. 
Para a comerciante e líder comunitária na Pedreira, Graziele Milanesi, a população das redondezas aproveitaram ao máximo a experiência. “Foi muito significativo para nós, porque aqui somos esquecidos pelos nossos representantes. O que os estudantes fizeram foi ótimo. Um pouco de alegria e cultura para nossas crianças, que nos contagiou muito”, conta.
Ainda segundo a moradora do bairro, a Comunidade da Pedreira merece uma atenção especial das instituições e a ação da Universidade sinalizou essa aproximação.  “Somos muito julgados pela sociedade pelo lugar que moramos. A ação da Universidade de trazer a cultura para o bairro tem toda a importância. Aqui temos muitas crianças e elas merecem tudo de melhor, apesar dos pesares”, finaliza. 
Para a estagiária da PROEC, Dany Revnei, a experiência foi marcante. “Trabalhar com a Cultura é trabalhar com emoção e foi exatamente o que eu senti naquela tarde. O sorriso encantador de cada criança, os abraços sinceros que recebi, o olhar realizado das mães ao verem seus filhos felizes. Isso não tem preço, é muito gratificante. Agradeço imensamente o carinho e confiança do pessoal da comunidade e a Proec pela oportunidade de contribuir com esse momento tão especial”, relata.
“Incrível é a palavra que posso dizer para o que foi a Caravana da Cultura. Foi intenso sentir toda a vibração, não só da alegria das crianças como também do acolhimento da comunidade. Tantas oficinas e todos interessados em participar, crianças e adultos. Foi uma experiência única e inesquecível, para a comunidade e para mim. É de muito valor ver o que a Cultura pode proporcionar a essas pessoas, e mais ainda poder estar lá junto exercendo. Deixou com gostinho de ‘quero mais’. Que venham mais Caravanas”, acrescenta a estagiária da Proec, Stefany Rosolem.
O diretor de cultura, James Rios, avaliou a primeira edição do projeto como positiva e agradeceu o apoio de todos os envolvidos. “A Caravana foi um sucesso. Não há preço que pague um sorriso no rosto de uma criança. Toda a magia que envolveu nossa visita só foi possível graças ao envolvido dos professores, estagiários, oficineiros do Galpão Cultural e artistas da nossa comunidade externa. Por isso, agradeço pela parceria do Projeto Mateus 25, da Escola de Samba Acadêmicos Capiau e, carinhosamente, a cada um dos artistas e agentes culturais que, voluntariamente, dispuseram seu tempo para estar conosco. Que venha a próxima Caravana”, disse. 

FONTE: ASSESSORIA UENP



Entre no nosso grupo do whats. CLIQUE AQUI
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK. CLIQUE AQUI
SIGA NO INSTAGRAM. CLIQUE AQUI

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas