Recuperação econômica prevê ampliação do crédito no Paraná, diz Michele Caputo


O deputado Michele Caputo (PSDB), coordenador da Frente Parlamentar do Coronavírus, disse nesta sexta-feira,6, que a recuperação econômica do Paraná passa pela ampliação das linhas de crédito do Estado,  principalmente aos setores mais atingidos e fragilizados pela pandemia.

O presidente da Fomento Paraná Heraldo Alves das Neves, respaldou a proposta aos deputados do colegiado na última reunião da fente. "Temos que ter ações imediatas, de curto e médio prazos que apoiem a reativação da economia para setores como pequenos empreendedores e pequenas de empresas, que são as que mais empregam no estado e no país", disse Michele Caputo.

Heraldo Alves disse que o Estado já está expandido o crédito com subvenções aos setores produtivos, em especial aos pequenos empreendimentos e ao agronegócio.

Redução de juros -
 Além disso, explica o diretor da Fomento Paraná, as ações já tomadas para atender ao empreendedorismo pelo microcrédito, com reduções de taxas de juros, atendem a um número maior de empresas. “Estamos atentos aos movimentos macroeconômicos no sentido de proporcionar uma redução de juros, apostando na retomada econômica”, afirmou. 

O presidente da Fomento Paraná citou, como exemplo, o Banco da Mulher Paranaense com financiamentos a juros reduzidos. A maioria dos municípios já trabalha com uma tabela de juros baixos nos seus empréstimos para fomento das atividades dos pequenos empreendimentos.

Ele citou ainda os fundos de investimentos que alavancam empresas de bases tecnológicas e programas que atendem os municípios com obras de infraestrutura.. “A carteira de crédito oferecida este ano vai superar o que foi ofertado no ano passado”, afirmou.

Destacou ainda ações específicas em setores como o de turismo e o hoteleiro. “Estamos com quase 20 mil contratos médios com valores em torno R$ 5,6 mil para os informais e empresas de pequeno porte.” disse.

Paraná Recupera - “A Assembleia aprovou a Lei Paraná Recupera de resposta a situações de emergências e calamidades, o que deu condição do governo agir rapidamente oferecendo linhas especiais de crédito ou moratórias aos empresários”, explicou

Fazem parte dessa ação duas frentes: dinheiro novo, com linhas de crédito novas; e amortização e carência de juros, com moratórias tanto para carteiras privadas quanto públicas. "Algo em torno de R$ 560 milhões, que pode ser mais porque não contávamos com as contas de fundos como o Fungetur, O BRDE e o BNDES”, listou o diretor da Fomento Paraná. “Oferecemos linhas de giro importantes, com a Linha de Aval Garantidor”, disse.

O diretor destacou ainda que a agência não deve operar apenas os fundos para financiamento do setor rural, mas partir para a abertura de linhas de créditos agrícolas, além do fortalecimento aos arranjos produtivos locais.
Explicou ainda as iniciativas de captação de recursos para os créditos oferecidos e das ações para diminuir os trâmites burocráticos nos processos de empréstimos nas diversas linhas de crédito e suas garantias.

Michele Caputo disse que a exposição do presidente do Fomento Paraná subsidiou os deputados, podendo assim auxiliar na garantia de créditos com emendas orçamentárias, projetos de lei, decretos legislativos e sugestões para o executivo, visando a recuperação econômica do Paraná.

O deputado disse ainda que a articulação entre órgãos do legislativo e do executivo é fundamental para colocar o Paraná na linha de frente no combate a covid-19.





Já segue nossas Mídias Sociais?

ENTRE EM NOSSO GRUPO DO WHATS. CLIQUE AQUI 
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK. CLIQUE AQUI
SIGA NO INSTAGRAM. CLIQUE AQUI
Entre no nosso grupo do Telegram. CLIQUE AQUI

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas