Curitiba confirma primeiros casos da nova variante brasileira do coronavírus



A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Paraná confirmaram, nesta quarta-feira (17/2), os cinco primeiros casos da variante brasileira do coronavírus, conhecida como P1, ou "variante de Manaus", quatro deles em Curitiba. Todos os pacientes já estão recuperados.

Todos os casos são importados e foram confirmados positivos para o novo coronavírus oficialmente por exames RT-PCR realizados pelo Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen-PR).  

Após o resultado positivo as amostras foram encaminhadas pelo Lacen para análise da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, laboratório de referência pelo Ministério da Saúde. Para identificação da variante é necessário sequenciamento genético do vírus, não apenas o RT-PCR.

A infectologista da Secretaria Municipal da Saúde Marion Burger explica que para a investigação, além dos sintomas, os pacientes devem ter passado por uma região onde há circulação dessas variantes.

"Para a investigação de variantes do novo coronavírus nos embasamos também em critérios epidemiológicos, que é histórico de viagem ou contato com alguém que viajou. A partir daí essas pessoas passam a ser monitoradas e as amostras que cumprem critérios clínico e epidemiológicos são enviados para análise", explicou.

Os casos

Entre os pacientes confirmados, dois são um homem de 68 anos e uma mulher de 56 anos, da mesma família, que relataram vir para Curitiba em voo comercial em busca de atendimento de saúde, após início de sintomas.

Além deles, há outros dois: um homem e uma mulher com idades respectivas de 47 e 73 anos, de mesma família, também vindos de Manaus em busca te atendimento.

O quinto caso é um homem de 22 anos que foi atendido por serviços de saúde da Região Metropolitana de Curitiba.  

Dos quarto pacientes diagnosticados em Curitiba, dois necessitaram de internamento mas já receberam alta. Todos são considerados recuperados, pois cumpriram o período de isolamento ou tratamento necessário e seguem sem sintomas.

Investigação epidemiológica

A equipe de Epidemiologia da SMS realizou monitoramento desses pacientes, além do rastreamento e monitoramento dos seus contatos, não foi identificado nenhum caso de transmissão na nova variante para pelos cinco pacientes confirmados.

“Todas as medidas sanitárias foram realizadas, e nossas equipes seguem alertas para o monitoramento das pessoas que apresentam sintomas respiratórios após retorno de viagem”, afirma a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.

“Todos os pacientes que testaram positivo para essa variante receberam contato da nossa equipe”, conta a infectologista.

Nova variante

A Secretaria da Saúde alerta a população para indícios de maior transmissibilidade dessa variante e recomenda isolamento imediato e busca de atendimento em caso de sintomas após viagem ou contato com viajou para região de circulação da nova variante.  

“Os sintomas são os mesmos de várias infecções respiratórias, o que dificulta identificar se é ou não uma nova variante. Por isso, é importante informar ao profissional de saúde se esteve em viagem ou em contato com alguém”, alerta Marion.

Os sintomas mais comuns são:  tosse, febre, dor de garganta, dor de cabeça, entre outros.


FONTE: PREFEITURA DE CURITIBA

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas