Pedágios da região devem custar R$ 8 com nova concessão



As três praças de pedágio previstas para a região com a nova concessão das rodovias paranaenses, em Jacarezinho e Quatiguá, devem entrar em operação com valores na casa dos R$ 8, de acordo com material divulgado nesta semana pelo governo do Estado.A previsão do governo após a concessão à iniciativa privada ser concluída é que sejam duas praças em Jacarezinho, na BR-153 e na BR-369, e uma praça em Quatiguá, na PR-092.

Vale citar que das cobranças que já estão em operação em Jacarezinho, a da BR-369, deve se manter no mesmo local, no distrito de Marques dos Reis, e terá a tarifa inicial de R$ 8,97. Apesar da praça ser no mesmo local, os valores a serem praticados são bem diferentes dos atuais, hoje com tarifa de R$ 24,40.Já a praça prevista para a BR-153, hoje em operação próxima à chamada “ponte velha” (e também com valor de R$ 24,40), deve mudar de lugar e passar a ser próximo a balança, tendo valor inicial previsto de R$ 8,39.Por fim, a praça prevista para a PR-092, inicialmente projetada para ficar no município de Quatiguá, deve entrar em operação com o valor de R$ 8,29. Atualmente este trecho da rodovia não está sob concessão e, portanto não é pedagiado.

O atual contrato de concessão das rodovias, com preços considerados abusivos pelos paranaenses, se encerra em novembro. Os novos contratos devem entrar em vigor a partir de 2022, quando as novas praças serão implantadas e os valores citados praticados. 

MELHORIAS

No novo contrato também estão previstas importantes melhorias para as rodovias, como duplicações e readequações de trevos e outros trechos problemáticos, além de implantação de viadutos e trincheiras.



Neste cenário, destaque para a duplicação da PR-092 no trecho de mais de 100 quilômetros de extensão entre Santo Antônio da Platina a Jaguariaíva, considerado um dos pontos viários mais críticos de todo Norte do Estado. CONCESSÃO As concessões rodoviárias estão divididas em seis lotes, que totalizam 3,3 mil quilômetros de rodovias. Estão previstos R$ 44 bilhões em investimentos, incluindo a duplicação de 1.783 quilômetros de rodovias, construção de 11 contornos urbanos, 253 quilômetros de faixas adicionais em rodovias já duplicadas, 104 quilômetros de terceiras faixas, mais de mil obras de arte especiais, como viadutos, trincheiras e passarelas, sinal de Wi-Fi em todo o trecho, câmeras de monitoramento e iluminação em LED.

A partir do novo modelo, vence o leilão a empresa que apresentar o maior desconto na tarifa no pedágio. A proposta prevê que as tarifas atuais já cheguem à Bolsa de Valores com um desconto médio de 30%. A esse valor, se soma o deságio proposto pelas empresas em disputa. Esse desconto será associado a um aporte financeiro ofertado pela concessionária para garantir a execução do contrato. Chamado de seguro-usuário, esse valor é proporcional ao percentual de desconto concedido à tarifa.
No modelo acordado, estão previstos três níveis de aporte: de 1% a 10%, de 11% a 17% e a partir de 17%. Para isso, as empresas precisam investir R$ 15 milhões por ponto percentual até 10%, R$ 60 milhões por ponto percentual até 17% e R$ 150 milhões por ponto percentual a partir de 17%. O valor será assegurado por lote, e poderá ser aplicado com diferentes finalidades, a serem decididas em cada um deles.

FONTE: JORNAL TRIBUNA DO VALE

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas