Prefeitura debate com entidades do setor produtivo de Londrina



Na pauta, estavam os estudos acerca das benfeitorias, que devem ser implantadas pela CCR, que foi a ganhadora do leilão de concessão realizado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), neste ano. Entre as melhorias, que podem ser implantadas para permitir o pouso e a decolagem em dias de tempo ruim estão: a ampliação da pista de pouso de aeronaves em 600 metros, a instalação de equipamentos mais modernos de tráfego aéreo (como Sistemas de Pouso por Instrumentos categoria 1-ILS). A concessão de 30 anos, prevê investimentos de cerca de R$ 300 milhões, divididos em fases. A primeira delas deve ser colocada em prática nos próximos três anos.

Segundo o prefeito Marcelo Belinati, o encontro de hoje demonstra a união de todos os segmentos da cidade, visando o desenvolvimento de Londrina a longo prazo. “O aeroporto de Londrina foi privatizado e após a assinatura do contrato existirá um prazo de 3 anos, para que a empresa que ganhou a concessão do aeroporto faça as obras de ampliação do terminal, ampliação da pista e a instalação do ILS. É uma coisa fantástica para Londrina, porque para o desenvolvimento da cidade, o aeroporto é fundamental. Muitas empresas que vêm para cá, perguntam como está o aeroporto e, os trabalhos que estamos fazendo, é nesse sentido. Estamos trabalhando em grupo e unidos para termos a garantia e a segurança de que as obras vão acontecer”, disse o prefeito.

Para esclarecer os pontos que geram dúvidas entre as entidades, nas próximas semanas, uma comitiva deve ir a Brasília para se reunir com integrantes do Ministério da Infraestrutura, da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Secretaria Nacional de Aviação Civil.

Além deste assunto, na oportunidade, a deputada federal Luísa Canziani apresentou, ao prefeito Marcelo Belinati, a possibilidade da instalação de uma reitora regional norte do Instituto Federal Paranaense (IFPR) em Londrina. Segundo a deputada, a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), que é responsável por firmar parcerias com os sistemas de educação, por meio do Ministério da Educação, está discutindo a reestruturação e expansão de alguns Institutos Federais, entre eles o do Paraná. Por isso, a ideia é pedir para que seja instalada em Londrina a reitoria regional. “Hoje, são 26 campi do IFPR que existem no Paraná e haverá mais um. O trabalho é no sentido de conseguir trazer para Londrina a reitoria do Instituto Federal, porque a sede do IFPR nós já temos. É algo que necessita de articulações e que precisamos trabalhar isso em Brasilia, para trazermos para cá”, ressaltou Marcelo.

Estiveram presentes na reunião a deputada federal Luísa Canziani, o deputado federal Diego Garcia, deputado estadual Tiago Amaral; os vereadores Eduardo Tomigana e Matheus Thum; e os membros do Núcleo de Desenvolvimento Empresarial, como a presidente da Associação Comercial de Londrina (Acil), Márcia Manfrim, o presidente da Sociedade Rural do Paraná (SRP), Antônio Sampaio, gerente regional do Sebrae no norte do Paraná, Fabrício Bianchi; o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Londrina (Sincoval), Ovanes Gava, e o sócio e superintendente do Grupo Folha de Comunicação, que possui as empresas Jornal Folha de Londrina, Portal Bonde, MultiTV Cidades, Folha Classificados e Grafipress, Nicolás Mejía. Além deles, também debateram o assunto o vice-prefeito, João Mendonça, o chefe de gabinete, Moacir Sgarioni, o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL), Tadeu Felismino, o secretário de Governo, Alex Canziani e a servidora Rosana Dalinear Acosta Marchese, representando a Secretaria de Educação.


FONTE: PREFEITURA DE LONDRINA

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas