“TOLEDO É + DIGNIDADE”: Cartão é lançado e já começa a ser distribuído



Solenidade realizada na manhã desta segunda-feira (25), no Auditório Acary de Oliveira, marcou o lançamento e a entrega das primeiras unidades do “Toledo é + Dignidade”, cartão que será distribuído a cerca de 1.400 famílias residentes do município que se encontram em situação de vulnerabilidade social. A partir de agora, serão creditados R$ 130,00 mensais em cada unidade e este valor poderá ser utilizado em estabelecimentos comerciais conveniados para a aquisição de alimentos e itens de higiene e limpeza.

 

Antes, essas pessoas recebiam uma cesta básica cujo valor médio era de R$ 90,00 e os itens geralmente eram comprados de empresas de outras cidades. Agora, estes recursos - quase R$ 2,2 milhões por ano - movimentarão a economia local, sendo que R$ 50 mil retornará aos cofres do município na forma de pagamento de impostos, o suficiente, por exemplo, para contratar 1.250 consultas com especialistas.



 

O primeiro cartão foi entregue a Claudineia Schibichewski, moradora do bairro São Francisco. “É algo que vai nos ajudar muito lá em casa, nos possibilitará comprar de vez em quando um biscoito, um iogurte, uma opção diferente na alimentação. Sem falar que agora não vou mais ter que ir até o Cras [Centro de Referência de Assistência Social] do Panorama buscar a cesta básica de bicicleta, muitas vezes precisando da ajuda dos outros para empurrá-la”, relata.

 

A secretária de Assistência Social e Proteção à Família, Solange Silva dos Santos Fidelis, informa que a distribuição dos cartões do “Toledo é + Dignidade” será realizada pelas equipes dos Cras, que entrarão em contato com os beneficiários agendando data e horário para a retirada. “Para evitar aglomerações, este trabalho será iniciado hoje e prosseguirá nos próximos dias. Assim que o processo for finalizado, o usuário já sai com o cartão carregado e pode usar nos estabelecimentos conveniados. Só hoje, 85 famílias já puderam aproveitar este benefício”, explica.

 



Conquista histórica

Instituído pela Lei “R” nº 56/2021, o “Toledo é + Dignidade” representa uma conquista histórica tanto nas políticas públicas de assistência social quanto nas de segurança alimentar. Este aspecto foi abordado na fala de Solange e dos demais integrantes da mesa de honra do evento: o prefeito Beto Lunitti; o vice-prefeito Ademar Dorfschmidt; o presidente da Câmara Municipal, vereador Leoclides Bisognin; o secretário de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, de Inovação e Turismo e representante da Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit) na ocasião, Diego Bonaldo; e a presidente do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS), Rachel Lucia Rech.

 

Bonaldo e Rech falaram dos benefícios em oferecer este auxílio em pecúnia. “Este cartão representa a capacidade deste governo em se preocupar com as pessoas, que vão consumir no mercadinho do bairro e não nas grandes redes. Coloca comida no prato das famílias que mais necessitam e dinheiro no caixa de muitos pequenos comerciantes para quem estes valores fazem toda a diferença”, comenta o secretário. “O benefício pago desta maneira é um avanço enorme. É uma satisfação enorme estar aqui e deixo os meus parabéns para todos os que trabalharam para viabilizar este programa”, salienta a presidente.

 

Fidelis destacou que a entrega do “Toledo é + Dignidade” é um marco para a história das políticas públicas sociais no município. “Antes da Constituição Federal de 1988, a entrega da cesta era vista como um favor, não como direito. Com a vigência da atual Carta Magna, houve muitos avanços nesta área, com o reconhecimento de que se tratava também de uma ação de segurança alimentar da população em favor de famílias em situação de vulnerabilidade social, bem como aquelas que sofrem ou sofreram algum tipo de violação de direitos”, analisa. “Este cartão foi idealizado há 10 anos e chega num momento importantíssimo, em que a demanda está em ascendência. É um sonho que se tornou realidade cujo exemplo já está sendo observado por outros municípios do Paraná, ou seja,é uma semente que está rendendo muitos frutos”, avalia.

 

Bisognin e Dorfschmidt destacaram a vontade política necessária para colocar fim a uma prática que causava desconforto e constrangimento ao cidadão, além de gastos e esforços inúteis por parte da administração pública. “Neste sistema antigo, havia muita burocracia, toda uma logística complicada de transporte, distribuição e armazenamento de cestas básicas. Quando este projeto chegou até nós, foi um prazer apreciá-lo, discuti-lo e aprová-lo. Deixo aqui nosso reconhecimento para todos aqueles que romperam essa barreira e inovaram na forma de ajudar aqueles que mais precisam de alimento na mesa”, observa o presidente do Legislativo. “Oferecer dignidade é não ‘engessar’ o cidadão a uma lista de alimentos que ele não teve como escolher, mas, sim, fazê-lo comprar uma proteína, uma salada, uma fruta. Nós fazemos política para as pessoas e muitas delas estão precisando da nossa ajuda e é nosso dever abraçá-las. É gratificante fazer parte desta história e, parafraseando o nosso prefeito, estamos colocando a pujança da nossa economia a serviço da vida”, pontua.

 

Em sua fala, Lunitti frisou a união de esforços que viabilizou a implantação do “Toledo é + Dignidade” e falou dos projetos na área da assistência social enviados recentemente à Câmara. “Sonhar é importante, mas ele só se torna realidade com uma equipe comprometida e o desejo das autoridades eleitas para os poderes Executivo e Legislativo. A união entre Paço e Câmara é fundamental em qualquer momento, mas principalmente neste, em que boa parte da população empobreceu em virtude da pandemia e da inflação. Temos o dever de apresentar soluções, não esperando que elas venham somente dos governos estadual e federal. Desejo que, em breve, haja empregos para todas as famílias que receberão este cartão e que este não seja mais necessário”, observa. “Os avanços nas políticas sociais não param por aqui: enviamos para os vereadores apreciarem projetos para a criação da casa-abrigo para moradores de rua, a implementação da residência inclusiva para pessoas que não podem contar com o suporte da família e a instalação de uma sede fixa para o Cras Itinerante nas imediações da Prefeitura e da Rodoviária para atender as demandas do interior”, anuncia.


FONTE: PREFEITURA DE TOLEDO


Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas