Biodigestores vão ampliar vida útil do aterro sanitário



A Prefeitura de Foz do Iguaçu vai abrir nesta terça-feira (23), as propostas para compra de 120 biodigestores, equipamentos que transformam material orgânico, como restos de alimentos, em biogás, usado como combustível em fogões de cozinha.


"O principal objetivo da compra desses equipamentos é trabalhar pela redução do volume do lixo e aumentar a vida útil do aterro sanitário", disse o prefeito Chico Brasileiro.

Outro benefício da aquisição dos equipamentos apontado pelo prefeito é a produção do biogás, em substituição ao gás butano - que, além de poluente, teve um aumento de preço de quase 30%. “Nas escolas e centros comunitários onde os biodigestores forem instalados, poderemos fazer essa substituição, que vai reduzir danos ao meio ambiente e ainda trazer economia ao município”, destacou o prefeito. 

Piloto

Os biodigestores serão adquiridos progressivamente para instalação em equipamentos públicos como escolas, centros de educação infantil e unidades de valorização de materiais recicláveis. "Também vamos implantar em comunidades vulneráveis", explicou a secretária de Meio Ambiente, Ângela Meira.

A intenção é usar o método testado pelo CIBiogás, por mais de um ano, disse a secretária. "E, neste período, viu que é totalmente eficiente e capaz de apoiar bastante não só na redução de resíduos, mas também na produção de gás butano, que é utilizado para preparar alimentos e está com valor cada vez maior".

Economia

A proposta vai contribuir na economia das comunidades, especialmente das mais vulneráveis. "Qualquer retorno nesse sentido é bastante propício e vantajoso, não só do ponto de vista ambiental e econômico, mas também social", frisou Angela Meira.

O prefeito explica que, conforme projeto aprovado pela Câmara Municipal na última semana, a adesão aos programas de composteiras ou de biodigestores implantados pelo município ou de iniciativa comunitária trará benefícios aos moradores. "Com isso, a redução do valor da taxa de coleta de lixo pode chegar até 50%", disse Brasileiro.

Início

Após o resultado da licitação serão definidos os locais para as primeiras instalações, ainda em dezembro de 2021. "Um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), uma escola, uma das sete unidades de valorização de materiais recicláveis, mais alguns equipamentos públicos e também fechar parceria com uma comunidade vulnerável", exemplificou a secretária de Meio Ambiente.


FONTE: PREFEITURA FOZ DO IGUAÇU
Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas