Prefeitura restringe atividades a pessoas que se recusam a tomar vacina



A Prefeitura de Cornélio Procópio publicou  decreto condicionando a participação das pessoas que se recusam em tomar a vacina contra a Covid-19 em algumas atividades  do município. O decreto 387/21, publicado esta semana dispõe sobre o assunto, esclarecendo que a vacinação é o único meio existente para a redução de sintomas, internações, casos graves e até os óbitos provocados pela doença.

Através do documento, decreta que quem optar por não receber a vacina no período correspondente à sua faixa etária, ou grupo, estará impedido de frequentar locais como escolas e transportes coletivos. Além disso, terá que assinar um termo de responsabilidade que está cientificada que só poderá receber o imunizante  quando todas as faixas etárias já estiverem atendidas.

A medida foi tomada depois que algumas pessoas da comunidade se recursaram a receber a vacina no período estabelecido para a sua faixa etária. Com isso, contraíram a doença, foram internadas e fatalmente  foram  a óbito.

Entendimento - “Essa decisão foi para regrar essa situação e, até mesmo para evitarmos alguns tipos de problemas, mesmo sem muita frequência. O decreto foi formalizado em cima de um entendimento entre vários municípios. Temos acompanhado que outras cidades também tomaram medidas neste sentido em outros estados também”, disse a secretária municipal de Saúde, Angélica Olchaneski.

Ela disse que a decisão foi tomada principalmente em razão da escolha de vacina por parte das pessoas. “Vacina boa, é a vacina que está no braço das pessoas. Assim, qualquer um dos laboratórios é bom. Todas as vacinas têm a resolutividade eficaz. E, quando a pessoa faz a sua opção de não tomar essa ou aquela vacina, acaba provocando tumulto”, justificou. (Comunicação/Prefeitura)

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas