Cascavel lança campanha para reduzir impactos da crise hídrica



Por conta da crise hídrica, considerada a mais intensa dos últimos 98 anos, o Município de Cascavel decidiu tomar medidas preventivas para desacelerar os impactos que a estiagem prolongada traz à vida das pessoas. As medidas foram apresentadas na tarde desta sexta-feira (3) em conjunto com a Sanepar e Copel.

Uma das ações para incentivar a redução do consumo de água e luz é um desconto no IPTU de 2022 para as famílias que conseguirem economizar nos próximos quatro meses, em comparação com a média de consumo de janeiro a agosto. Quem conseguir economizar 10% no consumo de água, terá o mesmo percentual de desconto no IPTU. Se houver economia de 10% também de energia, o desconto será de 20% até um limite de R$ 500,00. Um projeto de lei será enviado à Câmara de Vereadores para permitir o desconto.

O prefeito Leonaldo Paranhos enfatiza que a medida tem como foco principal trazer ao debate a discussão em torno da economia. “Se nós estamos abrindo mão de receitas é porque, de fato, a situação é muito critica, mas só isso não resolve. O mais importante é a conscientização de cada um de nós”, observa o prefeito.

A gerente regional da Sanepar, Rita Camana, ressalta que a crise hídrica atinge todo o Cento-Sul do Brasil e, apesar de Cascavel ainda estar numa situação que não necessita trazer de volta o racionamento, é preciso priorizar o consumo para humanos e animais, além de fazer as atividades domésticas com economia.

Cascavel ainda está numa situação melhor que outros municípios por conta do início da captação de água do rio São José, no fim do ano passado.

 “Com isso teve um incremento disponível aqui na nossa cidade e, também, com a abertura de 30% do registro do lago, aumentou o volume de água do rio Cascavel, então dá para dizer que o abastecimento está sob controle, não significa que estamos numa tranquilidade, mas sim sob controle”, afirmou.

O presidente do Sindicato Patronal Rural, Paulo Orso, diz que Cascavel tem déficit hídrico de quase um ano em termo de volume e que muitas propriedades já estão com falta de água. “Isso tem trazido enormes problemas no campo porque temos a dificuldade das plantas se desenvolverem e com isso também as nascentes estão secando, mesmo aquelas preservadas, os córregos e rios secando e aí todos os animais começam a sentir necessidade e nós não temos águas para fornecer”, afirma.

Orso destacou a sensibilidade do prefeito Paranhos que decidiu licitar novos poços artesianos para atender as comunidades do interior. A licitação prevê a construção de 10 a 15 poços. “Vai trazer um alento. É uma ação ativa e já pronta do poder público municipal. O Paranhos é muito sensível a esse tipo de coisa”, disse.

 

Decreto

No dia 26 de agosto, o Município de Cascavel publicou um decreto declarando situação de emergência nas áreas afetadas pela estiagem. Um novo decreto será publicado estabelecendo medidas para o uso racional de água e energia elétrica no âmbito da administração pública direta e indireta.

Pelo decreto, todos os órgãos da administração deverão adotar medidas que reduzam o consumo de água e energia. Os cerca de 800 veículos da frota do Município já passaram a ser lavados apenas uma vez por mês e os maquinários a cada três meses. Além disso, o decreto orienta a redução da lavagem de ruas, calçadas e fachadas prediais, reavaliação da necessidade do uso de ar condicionado e redução da irrigação paisagísticas, entre outras medidas.


FONTE: PREFEITURA DE CASCAVEL

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas