Assembleia Legislativa formaliza repasse para a compra de vacinas contra a Covid-19 na segunda-feira (3)


O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano (PSDB), anunciou na última quarta-feira (29) que o Poder Legislativo irá repassar o valor de R$ 100 milhões para o Poder Executivo efetuar a compra de vacinas contra a Covid-19.
A formalização desse repasse acontece na próxima segunda-feira (3) às 10 horas no Palácio Iguaçu e reunirá o governador Carlos Massa Ratinho Junior, a Mesa Executiva da Assembleia, composta pelo presidente Traiano, o primeiro secretário Luiz Claudio Romanelli (PSB) e o segundo secretário Gilson de Souza (PSC). Também presentes os secretários chefe da Casa Civil, de Saúde e da Fazenda e o líder do Governo na Assembleia, deputado Hussein Bakri (PSD). Os demais deputados acompanharão o evento através de uma videoconferência.
Segundo Traiano, a transferência no valor de R$ 100 milhões para o Estado será realizada com o compromisso de que esse recurso seja destinado para a compra da vacina contra o coronavírus. "Nós estamos dando mais uma contribuição para a sociedade paranaense com essa disponibilidade de recursos. É um gesto do Poder Legislativo em nome de todos os deputados e deputadas”.
O primeiro secretário da Assembleia, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), destacou que o governo tem feito esforços estratégicos para garantir a imunização dos paranaenses assim que possível. “Ouvimos o apelo feito pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e decidimos repassar R$ 100 milhões do orçamento da Assembleia para que o governo possa fazer a aquisição de todas as vacinas quando estiverem disponíveis para compra para, de fato, imunizar toda a população paranaenses contra o coronavírus. É uma forma objetiva de poder virar essa página da pandemia”.
Parcerias - O Paraná tem parceria de cooperação técnica e científica com a China para iniciar a testagem e a produção da vacina contra a Covid-19, por meio do Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná). O termo de confidencialidade com a empresa estatal chinesa Sinopharm permite que o estado participe da terceira fase de testes da vacina, que deve começar já em agosto. O Paraná também terá acesso ao resultado das duas primeiras fases da testagem e poderá fazer a produção da vacina assim que o produto chinês for aprovado.
Outra possível parceria do Paraná na testagem e produção da vacina poderá ser a Rússia. A cooperação técnica para conclusão dos testes do produto em desenvolvimento pelo Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya já está em negociação. Junto com a pesquisa da Universidade de Oxford, no Reino Unido e da China, a vacina russa é uma das mais adiantadas, com a segunda fase dos ensaios clínicos já concluídos.
Pesquisas - Aproximadamente 130 vacinas contra a Covid-19 estão em desenvolvido em todo o mundo. O Brasil tem parceria com a Universidade de Oxford para produção da vacina, por meio da Fiocruz. Em estágio de desenvolvimento avançado, a vacina deve começar a ser produzida no início de 2021.
Já o Instituto Butantã, de São Paulo, está realizando teste da vacina desenvolvida pela Sinovac, da China. Com a testagem clínica em humanos iniciada, a previsão é de que o produto também comece a ser produzido no início do próximo ano.

FONTE: ALEP


Já segue nossas Mídias Sociais?

ENTRE EM NOSSO GRUPO DO WHATS. CLIQUE AQUI
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK. CLIQUE AQUI
SIGA NO INSTAGRAM. CLIQUE AQUI
Entre no nosso grupo do Telegram. CLIQUE AQUI

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas