Pedro Lupion quer evitar fechamento de unidades


O deputado federal Pedro Lupion, inconformado com a notícia do fechamento de 40 unidades do Colégio Sesi no Paraná, especialmente as duas escolas da região instaladas nas cidades de Santo Antônio da Platina e Bandeirantes, iniciou na sexta-feira (14) articulações junto à central do sistema Sesi-Senai em Brasília e na Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), numa tentativa de impedir a descontinuidade dos colégios na região do Norte Pioneiro do Paraná.
“Precisamos encontrar uma saída para a situação. Não podemos perder uma instituição fundamental na formação intelectual e profissional como o Colégio Sesi, reconhecido pela qualidade do ensino que proporciona a seus milhares de alunos”, assinalou à Tribuna do Vale, em seu escritório de Santo Antônio da Platina, sede de sua base eleitoral e onde reside.
No esmo momento em que atendia a reportagem o parlamentar recebeu a visita do ex-prefeito de Santo Antônio da Platina, Flávio Luiz Maiorky, que foi manifestar a mesma preocupação com o provável fechamento da unidade do Colégio Sesi na cidade. A sede da Fiep e as unidades do Sesi e Senai foram instalados no município na gestão de Maiorky, que administrou a cidade entre os anos 1997 a 2004.
“Foi uma grade luta para trazer a sede da Fiesp para Santo Antônio da Platina e não podemos perder essa conquista agora”, alerta, assinalando que a conquista teve como grande patrocinador o platinense e ex-presidente da Fiep, já falecido, José Carlos Gomes Carvalho, o Carvalhinho, que também foi senador.Lupion, durante a entrevista, falou com uma das coordenadoras nacionais do Sistema Sesi-Senai, que garantiu que levaria o pleito do parlamentar durante uma reunião que aconteceria à tarde para tratar do assunto. “Sempre fomos parceiros de vocês no Congresso, espero que agora haja recíproca, encontrando uma saída para o impasse”, falou ao celular com a coordenadora, sem identifica-la à reportagem.
O parlamentar reconhece que o corte de 80 por cento dos repasses ao Sistema S, atingiu duramente instituições como Sesi-Senai, Sest-Senat (transportadores) e Senar (rural), entre outros, mas vê saída com recomposição das prioridades e até mesmo em aumento das mensalidades aos estudantes. “O que não podemos é deixar que de desestrutura uma das principais ferramentas de desenvolvimento profissional e social existente em nossa região”, conclui.   
Colégio Sesi passa por ampla reformulação no Paraná
Decisão por fechamento de algumas unidades ainda está em análise e pode ser revista caso sejam encontradas soluções de sustentabilidade para as escolas
Diante da repercussão gerada pela possibilidade de encerramento das atividades de algumas unidades do Colégio Sesi no Paraná, o Sistema Fiep esclarece que a medida, ainda em análise, faz parte de um amplo processo de reformulação da instituição de ensino para o ano que vem.
A entidade explica que a Lei nº 13.415/2017, que introduz o novo Ensino Médio no país a partir de 2021, amplia a carga horária dessa etapa educacional e potencializa a integração do ensino regular com a formação técnica. “Essa obrigação legal nos traz grandes oportunidades, vindo ao encontro da missão de Sesi e Senai, que é qualificar profissionais para a indústria”, afirma o presidente do Sistema Fiep, Carlos Valter Martins Pedro.
“Como a razão da existência do Sistema Fiep é prestar serviços que agreguem valor à indústria, foi formulada uma nova proposta de ação para o Colégio Sesi no Paraná, que trará um currículo muito mais direcionando para a formação dos alunos de acordo com as reais necessidades do setor industrial”, acrescenta.
O Sistema Fiep ressalta que, com o aumento de qualidade que essa mudança exigirá, verificou-se que algumas unidades de menor porte e que possuem altos custos operacionais não teriam a sustentabilidade necessária para seguir em atividade a partir de 2021.
Cumprindo uma exigência legal, a descontinuidade dessas escolas precisou ser comunicada oficialmente à Secretaria de Estado da Educação até 31 de julho. Posteriormente, para que pudessem se planejar, gerentes, colaboradores e pais de alunos dessas unidades também foram comunicados, ressaltando-se que o serviço será preservado até o fim de 2020. A entidade destaca, ainda, que essas unidades respondem por apenas 19,4% do total de alunos do Colégio Sesi em todo o Paraná.
“Porém, pela qualidade e diferenciação do ensino que o Colégio Sesi sempre ofertou no Paraná, tal notícia gerou grande mobilização da sociedade na tentativa de encontrar alternativas para a preservação dessas unidades que atualmente têm custos operacionais inadequados”, afirma Carlos Valter. “Vemos com bons olhos essa movimentação e, diante disso, estamos buscando, caso a caso, junto com as comunidades que estão nos procurando, soluções de sustentabilidade para a continuidade dessas unidades”, esclarece o presidente do Sistema Fiep.

FONTE: JORNAL TRIBUNA DO VALE



Já segue nossas Mídias Sociais?
ENTRE EM NOSSO GRUPO DO WHATS. CLIQUE AQUI 
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK. CLIQUE AQUI
SIGA NO INSTAGRAM. CLIQUE AQUI
Entre no nosso grupo do Telegram. CLIQUE AQUI

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas