Plenário aprova emendas de Lupion em MP que facilita acesso a crédito contra a covid-19


Três emendas do deputado federal Pedro Lupion (DEM-PR) foram acatadas pelo relator no texto final da Medida Provisória nº 958/20, aprovada nesta terça-feira (18) no Plenário da Câmara dos Deputados.

A MP facilita o acesso ao crédito junto aos bancos públicos ao dispensar os clientes – empresas e pessoas físicas – da apresentação de vários documentos fiscais na hora de contratar ou renegociar empréstimos.
O objetivo principal é reduzir os prejuízos causados pela covid-19 na economia brasileira.

O relator, deputado Rubens Bueno (CIDADANIA-PR), acatou integralmente a emenda que suspende a cobrança de parcelas de dívidas que os produtores tenham com a União, enquanto durar o estado de calamidade pública por causa da pandemia. Isso vale para aqueles contribuintes que aderiram ao Programa de Regularização Tributária Rural (PRR)

Pedro Lupion afirma que a gravidade da situação justifica a medida. “O atual cenário econômico é complexo. Nossa preocupação é ajudar os produtores que enfrentam dificuldades financeiras e não tiveram meios para quitar os débitos neste momento difícil”.

Registros

Também foi acatada, na íntegra, emenda para suprimir um trecho da MP 958/20 que poderia gerar conflito com a Lei do Agro (Lei nº 13.986/2020), do próprio Pedro Lupion.

A redação do deputado paranaense da lei sancionada em abril deste ano garantia que deixasse de ser obrigatório o registro da Cédula de Crédito Rural (CCR) em cartórios de imóveis, para evitar custos que onerassem os produtores rurais. Em outro ponto, a lei também deixou de exigir a obrigatoriedade de seguro de bens dados em garantias de empréstimos.

“O problema é que a MP 958 falava apenas em ‘suspensão temporária até 30 de setembro de 2020’ na questão da CCR. Além disso, gerava contradição quanto à obrigatoriedade do seguro, o que poderia causar problemas jurídicos aos produtores. Assim, pedimos a supressão do trecho”, disse o deputado.

Parcial

Uma terceira emenda de Lupion foi acatada parcialmente por Rubens Bueno. O trecho propunha que ficasse suspensa a exigência de Certidão Negativa de Débitos por um período mínimo de seis meses para a realização de novas operações de crédito ofertadas por bancos públicos.

Lupion enalteceu o trabalho de articulação da Frente Parlamentar da Agropecuária nas alterações acatadas pelo relator. “Desde o começo, sabíamos que essa MP era importante para o campo, ao garantir certo fôlego ao produtor rural, principalmente em um momento como o que estamos atravessando. Conseguimos negociar com o relator as emendas e, agora, vamos trabalhar para que tudo seja mantido pelos senadores”.

O texto final, que se tornou o Projeto de Lei de Conversão (PLV) nº 33 segue para discussão e votação no Senado Federal.


FONTE: ASSESSORIA




Já segue nossas Mídias Sociais?
ENTRE EM NOSSO GRUPO DO WHATS. CLIQUE AQUI 
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK. CLIQUE AQUI
SIGA NO INSTAGRAM. CLIQUE AQUI
Entre no nosso grupo do Telegram. CLIQUE AQUI

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas