Pesquisa aponta aumento na valorização do SUS, ciência, universidades e hospitais públicos



O deputado Michele Caputo (PSDB), coordenador da Frente Parlamentar do Coronavírus, afirmou nesta quarta-feira, 8, que o aumento na valorização da saúde pública e da ciência mostra que a maioria dos brasileiros reconhece a importância do SUS (Sistema Único de Saúde), universidades e os hospitais públicos. "O SUS não é só importante no combate da pandemia, é um sistema público que garante o atendimento universal a todos na área de saúde. Felizmente sua importância, há muito tempo já apontada por quem trabalha na saúde, ganha essa dimensão nacional", disse.


Pesquisa da Escola Paulista de Medicina revela o aumento na valorização do SUS, da ciência e do trabalho das universidades públicas e hospitais universitários. Segundo o estudo, coordenado pela farmacologista Soraya Smaili, antes da pandemia, 40% dos brasileiros achavam que o SUS tinha importância altíssima. Agora, o número subiu para 62%.


A pesquisa mostrou que a valorização da ciência também aumentou. Antes, 47% consideravam a importância altíssima — hoje, o percentual está em 70%. O mesmo acontece em relação às universidades públicas e hospitais universitários - esse percentual subiu de 42% para 59%. O estudo mostra que 52% dos entrevistados são a favor da retomada da expansão da educação superior pública gratuita e dos investimentos na área.


Relevância - "As universidades e os hospitais públicos ganharam relevância, muita justa por sinal, como fundamentais neste enfrentamento da pandemia. As universidades, por exemplo, criaram programas de monitoramento e atendimento, estão fazendo testes do coronavírus, produziram insumos e artefatos, realizaram convênios com as prefeituras para diversos projetos. A UFPR desenvolve uma vacina contra a covid, importantíssima já que cada vez se tem mais certeza que vamos precisar de doses de reforço ou campanhas mais frequentes de vacinação", disse Michele Caputo.


A ciência, segundo o deputado, não só acelerou as pesquisas para produção da vacina como foi importante para desmentir todas as informações falsas sobre a cura da doença. "Os pesquisadores e especialistas, que também estão nas universidades, fazem parte desta rede de combate à má informação e as indicações errôneas de tratamento. Tudo é avaliado através dos resultados de pesquisas e estudos que estão sendo feitos", disse.


Michele Caputo disse ainda que o governo estadual acertou em assumir os custos dos quatros hospitais universitários na UEL, UEM, UEPG e Unioeste. "Os hospitais criaram leitos exclusivos para pacientes e estiveram na linha de frente no combate ao coronavírus. Acertamos em reforçar o apoio e os investimentos nestes hospitais e o retorno foi exemplar para a saúde dos paranaenses", disse o deputado que comandou a Secretaria Estadual de Saúde entre 2011 e 2018.

Postagem anterior
Proxima
Postagens Relacionadas